Tatuagem Gospel



. Alguns utilizam para dar embasamento bíblico à proibição do crente fazer tatuagens o texto de Levítico 19.28, que diz: “Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR.”

Conforme podemos observar claramente nesse texto, não há uma indicação sobre não fazer tatuagens ou marcas de qualquer tipo, mas uma indicação pontual ao povo de Israel que não copiasse o costume de nações pagãs de sua época, que faziam marcas e feridas na pele em adoração aos mortos. Assim, esse texto não pode ser usado para embasar uma proibição total da prática de fazer tatuagens. O texto só pode ser usado naquilo que se refere. Esse é o único texto bíblico que faz alguma menção sobre tatuagens. Fora esse não temos textos bíblicos explícitos que proíbam e nem que autorizam o uso de tatuagens.
 ENTÃO, NESSE CASO, O CRISTÃO ESTÁ LIBERADO PARA FAZER TATUAGENS?
Posso fazer uma tatuagem mesmo sendo cristão?
Sim e não. Digo isso porque toda atitude do cristão deve ser refletida no contexto completo da Palavra de Deus e não apenas no fato de a Bíblia proibir ou não algo em específico. Por isso, antes de decidir fazer sua tatuagem, creio ser necessário pensar alguns pontos para que essa tatuagem não venha a se transformar em motivo de problemas em sua vida e venha a ser do desagrado a Deus.

(1) Tudo deve ser feito para a glória de Deus. Em 1 Coríntios 10. 31 encontramos um princípio a ser aplicado em todas as nossas ações: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.”. Se essa tatuagem que você quer fazer é apenas com um intuito egoísta, se é apenas um ato de rebeldia contra algo ou alguém, se é um desejo originado em algo pecaminoso, não faça, pois não estará glorificando a Deus nisso. A motivação daquilo que fazemos conta muito para Deus. Uma motivação errada te levará a um caminho errado, que não glorificará o Senhor no final das contas. Faça essa pergunta a si mesmo: A minha atitude de ter uma tatuagem glorificará a Deus?

 (2) Que tipo de desenho você quer fazer? Existem desenhos que carregam simbologias fortes que não caberiam ao cristão carregar em seu corpo. Por isso, se decidir se tatuar deve observar se o tipo de desenho é condizente com os ideais bíblicos. Conheço um cristão que, por ignorância e falta de reflexão e sabedoria, tatuou palavras em outra língua, que ele achava que tinham um significado legal, mas que, na verdade, eram citações reprováveis. Quando descobriu era tarde demais! Por isso, é preciso ter cuidado. Pense: O desenho que quero fazer está condizente com os valores cristãos bíblicos?

(3) Sua tatuagem vai causar escândalo? Apesar de ser algo subjetivo essa questão de causar escândalo, Paulo nos deixou um bom modo de refletir sobre a nossa liberdade cristã, principalmente em relação ao próximo. Em 1 Corintios 8.1-13 Paulo refletiu sobre a sua liberdade diante das pessoas mais fracas na fé. Por que não deveríamos também refletir sobre isso? Ele fez duas conclusões interessantes que, penso eu, podem dar embasamento para uma tomada de decisão mais madura com relação às tatuagens: “Vede, porém, que esta vossa liberdade não venha, de algum modo, a ser tropeço para os fracos (…) E, por isso, se a comida serve de escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a escandalizá-lo.” (1Co 8. 9; 13). O referencial do reino de Deus é o “nós” e não o “eu”, por isso, pense se essa tatuagem não trará mais problemas que bênção em sua vida e comunidade. Então, depois de refletir bem decida se fará ou não.

 (4) Quantos anos você tem? Normalmente no calor da rebeldia de jovens e adolescentes aparece esse desejo de fazer uma tatuagem com objetivos nada cristãos. Principalmente pela influência de amigos, da mídia, da moda, do momento, etc. Por isso creio ser de bom grado que pessoas ainda jovens pensem muito bem, consultem seus pais e reflitam. Lembre-se que a tatuagem é permanente e pode te prejudicar inclusive profissionalmente no futuro, pois existem empresas que aplicam restrições – veladas – a pessoas tatuadas. Por isso, pense bem se vale a pena tanto risco por causa de um desenho na pele! Na dúvida, espere mais um pouco e amadureça a ideia.

(5) O cristão deve respeitar a lei. Se você for menor de idade existe uma lei específica que tem restrições a você fazer tatuagens. Se estiver a fazer algo escondido, contrário à lei, está errado. Se a sua decisão é por fazer a tatuagem, que seja algo aberto, legal. Aquela história de aparecer em casa tatuado “do nada” apenas para provocar os pais não indica uma atitude cristã. Certamente irá se arrepender no futuro. Pense que tudo tem a sua hora certa, o seu momento certo e, às vezes, no futuro, você acaba repensando e decide não fazer. Tenho amigos que estavam loucos para fazer tatuagem porque é “modinha”, mas depois de refletirem e deixar o tempo passar acabaram desistindo. Pode acontecer.

(6) As suas dúvidas estão maiores que as certezas? A Bíblia diz algo bem interessante: “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração…” (Cl 3. 15). Árbitro é aquele que é capaz de julgar e dar a diretriz correta a respeito de algo. Assim, a Bíblia aponta a paz de Cristo como um bom referencial para acertarmos em questões difíceis. Normalmente a dúvida provoca a falta de paz em nosso coração. Se a dúvida está maior que a certeza, pode ser que Deus não esteja se agradando com essa tatuagem ou que Deus está te preparando melhor para fazer uma melhor escolha de tatuagem que a atual. Em última instância, sempre ouça a voz de Deus e não a sua.

 CONCLUSÃO
Creio que os pontos citados acima fornecem bons referenciais para uma tomada de decisão correta com relação a fazer ou não uma tatuagem. Usar a liberdade que Cristo nos deu da melhor forma possível, seja para fazer uma tatuagem legal ou para escolher não fazer uma tatuagem, é o que Deus espera de cada um de nós. Por isso, antes de fazer faça uma reflexão imparcial e sincera sobre a questão é só depois decida.

7 lições de Josué para quando nossa fé for testada- Modelo de um sermão Biografico



Aos alunos, lembre se sempre  de pegar todos os detalhes da vida do personagem, quem foi ele, filho de quem, morou onde e etc, e coloque tudo isso na introdução.
A História de Josué é sem dúvida uma das mais impressionantes da Bíblia, com certeza Josué havia aprendido muito com Moisés e com sua jornada deixou um legado de fé para nós.
Quando sua fé for testada, lembre dessas 7 características que marcaram a vida de Josué.

1. Reconhecer que Deus testa a nossa fé

Por 40 anos, Deus tinha conduzido os israelitas através do deserto por uma coluna de nuvem e fogo. Agora, quando o Jordão estava no seu nível mais alto e mais traiçoeiro, Deus levou os israelitas a atravessá-lo.
Não teria sido mais fácil para Israel quando o Jordão era apenas uma fita sonolenta de água? Sim, mas eles teriam perdido o milagre. Deus nos conduz com “cordas de bondade” a circunstâncias esmagadoras precisamente para nos mostrar Sua glória.

2. Lembre-se das promessas de Deus

Antes de Deus levar o povo em frente do Jordão, Ele lembrou a Josué:
Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés. Desde o deserto e do Líbano, até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus, e até o grande mar para o poente do sol, será o vosso termo. Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Josué 1:3-5
Esta não é apenas uma promessa do Antigo Testamento a Israel. Esta promessa é igualmente para nós. Em Hebreus 13:5 , Deus diz: “Nunca te deixarei, nunca te desampararei”.

3. Obedeça a Palavra de Deus

Junto com Suas promessas, Deus lembrou a Josué para obedecer cada termo da lei de Deus. (Josué 1:7). Quando Deus disse a Josué para ser forte e corajoso, não foi um simples pensamento positivo, ou algo motivacional que o fez valente. Era saber que somente a completa obediência a Deus traria seu sucesso.

4. Permaneça na Palavra de Deus

Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. Josué 1:8
Quando estamos enfrentando circunstâncias esmagadoras, precisamos nos saturar com a Palavra. Imagens do Facebook nunca nos dará o que precisamos para enfrentar a nossa situação com a fé. O tempo diário na Bíblia nos ajuda a saber quem é Deus e como alinhar nossa vida a Ele.

5. Mantenha o foco em Deus

Quando os israelitas se preparavam para atravessar, eles foram instruídos a observar a Arca da aliança e segui-la.
E ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da aliança do Senhor vosso Deus, e que os sacerdotes levitas a levam, partireis vós também do vosso lugar, e a seguireis. Haja contudo, entre vós e ela, uma distância de dois mil côvados; e não vos chegueis a ela, para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir; porquanto por este caminho nunca passastes antes. Josué 3:3,4
A Arca envolveu a própria Presença de Deus. Vamos perder o coração e perder a fé cada vez que nos concentrarmos nas águas da inundação em torno de nós. Devemos manter nossa mente na verdade de Deus e abrir nossos olhos para a Sua presença.
Martinho Lutero disse: “Eu não sei o caminho que Ele me conduz, mas bem conheço o meu Guia”.

6. Dê um passo de Fé

Josué registra que “assim que seus pés tocaram a beira da água, a água do rio acima parou de fluir.” (Josué 3:15-16) Deus não separou o Jordão enquanto eles acampavam na margem. O milagre só aconteceu quando entraram na água.

7. Faça um memorial

Deus ordenou a Josué que tirasse 12 pedras da areia seca do leito do rio Jordão e as montasse como um memorial, para sempre lembrar todas as gerações sucessivas do milagre de Deus.
Nós também precisamos de memoriais. Testemunhos podem ser registrados em um diário ou na Bíblia e marcados com uma data e detalhes de como Deus trabalhou. Você pode ter sua fé renovada cada vez que reler.
Ouça, nenhum de nós quer encarar o impossível. Mas se Deus nos conduz a ele, Ele certamente nos conduzirá através dele. Que estas 7 lições nos ajudem a manter nossa fé quando chegarmos ao nosso próximo Jordão.

Dicas de Pregação- Sermão Tematico

Quais as consequências para uma igreja na qual o modelo de pregação é centrado mais no tema do que na pregação bíblica e expositiva?


A pregação temática é mais fácil, mais pragmática e costuma ser preferida. A dificuldade é que não ouvimos o texto em si nem compreendemos as Escrituras. O modelo temático tende a ser mais manipulativo, pois eu escolho um tema e vou selecionando textos que falem do assunto, mas encaixo as coisas a partir da minha própria perspectiva. O problema é que os textos bíblicos são distintos e heterogêneos, pois são de épocas diferentes e tratam de temas específicos. Para juntar e relacionar esses textos adequadamente é muito mais difícil do ponto de vista hermenêutico e teológico. É preciso ouvir o texto bíblico. As Escrituras é que trazem vida à Igreja. Vamos deixar o texto falar, inclusive de assuntos que não são de nossa preferência.